sexta-feira, 30 de junho de 2017

As babéis de Ses (Parte XIII)

*

Por Germano Xavier

"a grande sinfonia escutei por teus lábios"


O fim: um lendário sempre


dê-me ouvidos:
sobre a correspondência dos atos
e a forma avessa das pedras espalhadas no tempo
está a grande obra de nossas carnes:
a posição e o ofício das mãos.

instrumentos que fazem abrir os rótulos das mudanças,
as mãos são as medidas do charme e da inteligência
que existem nos excessos.

dê-me ouvidos:
nossas mãos iniciaram a Grande Guerra dos mucos e salivas.
emocionalmente, entenderam mais sobre o fogo
que nossos corações alquebrados.
nossas mãos entrevistaram a umidade hiperbólica das obsessões.

e nesse universo, dentre toques e invasões,
na clandestina guerrilha das possessões,
manter, decerto, o olhar cético
ao fazer das criações, à propriedade do amor,
foi acerto.


Imagem: http://www.deviantart.com/art/Distant-688986242

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Poemas de Germano Xavier em Francês (Parte LXXV)

*

Por Germano Xavier

"tradução livre"



Terça-feira, 19 de Julho de 2016
A chaminé


La cheminée

aucune arme ne m’effraye plus
que l’imminente désincarnation
que l’on appelle l’amour.

la rouille, la mécréance, la tragédie…
lubrifient les pas vers la mort,
vers la flemme finale.

nos corps vaincus,
qui montaient avec la triste fumée
par la cheminée de la vie commune.


* Imagem: http://www.deviantart.com/art/Untitled-689403783

quinta-feira, 1 de junho de 2017

Dentro das muitas chuvas amarelas

*

Por Germano Xavier


"Não desejo mais ser feliz,
e sim apenas estar consciente."
(Albert Camus)


Peguei o livro do Walter Moreira Santos -  depois de ter lido O metal de que somos feitos - intitulado de Dentro da chuva amarela e, depois de 2 dias de leitura intercalada aos afazeres diários, cheguei à última página. O relato do escritor pernambucano é um baque nas estruturas ligadas ao cuidado e tratamento da depressão e do pânico no Brasil - e também no mundo. 

Nele, você encontrará:

* Um compêndio de medos, dramas e traumas;
* Um romance autobiográfico;
* Um livro de auto-ajuda;
* Um manual de como botar médicos e psicólogos no bolso;
* Um universo muito universal;
* Um real significado para o termo "depressão";
* Uma narrativa, diria, fundamental para estudiosos e curiosos de diversas áreas;
* Um modo corajoso de dizer as coisas;
* Um silêncio que explodiu;
* Um tipo de chuva muito ácida para quem a toma.


(Semente, 2006)